O verme do cachorro em humanos é uma infecção causada por alguns parasitas que pode provocar sintomas como linhas vermelhas na pele, náusea, inchaço no abdome e dificuldade para enxergar, dependendo do parasita envolvido e local do corpo afetado.

Essa infecção também é conhecida como larva migrans cutânea ou bicho geográfico, quando é causada por parasitas como o Ancylostoma braziliense ou Ancylostoma caninum, e larva migrans visceral ou ocular, quando provocada pelo Toxocara sp. Entenda melhor o que é o bicho geográfico.

Em caso de suspeita de verme do cachorro, é indicado consultar o infectologista, dermatologista, em caso de sintomas na pele, ou oftalmologista, se surgirem alterações na visão. O tratamento normalmente é feito com medicamentos antiparasitários, como albendazol e mebendazol.


Principais sintomas

Os principais sintomas de verme do cachorro em humanos são: 

  • Pequeno ponto ou bolinha vermelha na pele;
  • Linhas vermelhas e tortuosas na pele, formando um caminho que vai aumentando com o tempo;
  • Coceira intensa na pele, que piora durante a noite;
  • Febre;
  • Náusea;
  • Vômitos;
  • Dor no abdome;
  • Tosse persistente;
  • Chiado no peito;
  • Ínguas em partes corpo;
  • Inchaço no abdome, devido ao aumento do fígado e do baço.

Os sintomas variam de acordo com a parte do corpo afetada pelo verme do cachorro e tipo de verme, sendo mais comuns na pele dos pés ou pernas quando o parasita entra no corpo pelo contato da pele com o solo contaminado. 

Em alguns casos, o parasita pode chegar ao globo ocular, causando dificuldade para enxergar, vermelhidão, dor e coceira no olho, aparecimento de manchas brancas na pupila e, nos casos mais graves, perda da visão. Veja mais sintomas do verme de cachorro no olho.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do verme do cachorro em humanos normalmente é feito pelo infectologista ou clínico geral levando em consideração os sintomas presentes e resultados de exames no sangue, como o hemograma e a pesquisa de anticorpos contra o parasita.

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Infectologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, também é possível consultar o dermatologista, em caso de alterações na pele, ou oftalmologista, se surgirem alterações na visão, para confirmar o diagnóstico.

Como acontece a transmissão

Quando o parasita é o Toxocara sp., a transmissão do verme do cachorro acontece pelo consumo de vísceras ou carne mal cozida de outros animais infectados, como coelhos ou aves, ou ingestão acidental de ovos do parasita que são liberados com as fezes do animal doente.

Já no caso de parasitas como Ancylostoma braziliense e Ancylostoma caninum, o verme do cachorro é transmitido por contato direto com larvas presentes no solo, que são capazes de penetrar a pele. Estas larvas se formam de ovos liberados nas fezes do animal doente.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o verme do cachorro em humanos deve ser orientado pelo médico, sendo importante continuar o tratamento mesmo que não existam mais sintomas. Normalmente o tratamento é feito com o uso de antiparasitários, como o albendazol, tiabendazol ou mebendazol por 5 dias. Entenda melhor como é o tratamento do verme de cachorro.

Quando a infecção afeta os olhos, o médico normalmente também indica o uso de corticoides na forma colírios ou comprimidos para diminuir a inflamação e evitar a progressão da doença.

Como evitar pegar o verme do cachorro

Para evitar pegar o verme do cachorro deve-se:

  • Não andar descalço em locais que possam estar contaminados com fezes de animais, como praias, jardins, parques ou rua;
  • Lavar as mãos, sempre após brincar com animais e antes de preparar ou consumir alimentos;
  • Não consumir água não tratada ou filtrada, devido ao risco de contaminação;
  • Evitar comer carne ou vísceras de animais como coelho ou aves mal cozidas, especialmente quando não se tem certeza da sua qualidade.

Além disso, quem tem um animal doméstico deve recolher sempre o cocô quando levar o animal na rua, por exemplo, assim como fazer a desparasitação regular.

Imagem do autor

Mestre em Microbiologia Aplicada, com habilitação em Análises Clínicas e formada pela UFPE em 2017 com registro profissional no CRBM/ PE 08598.





94% dos leitores

acham este conteúdo útil



(453 avaliações nos últimos 12 meses)

Histórico de atualizações

Atualizamos regularmente os nossos conteúdos com a informação científica mais recente, para que mantenham um nível de qualidade excepcional.

Bibliografia
  • CDC. Zoonotic Hookworm. Disponível em: <https://www.cdc.gov/parasites/zoonotichookworm/disease.html>. Acesso em 17 abr 2024
  • CDC. Toxocariasis. Disponível em: <https://www.cdc.gov/dpdx/toxocariasis/index.html>. Acesso em 17 abr 2024
  • STATPEARLS. Toxocara Canis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538524/>. Acesso em 21 mar 2023
  • STATPEARLS. Cutaneous Larva Migrans. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK507706/>. Acesso em 21 mar 2023
  • MA, Guangxu et al. Human toxocariasis. Lancet Infect Dis. Vol.18. n.1. e14-e24, 2018
  • AREVALO, J. F; ESPINOZA, Juan V; AREVALO, Fernando A. Ocular toxocariasis. J Pediatr Ophthalmol Strabismus. Vol.50, n.2. 76-86, 2013

Fonte: Tua Saúde!