O tribunal distrital de Basmanny, em Moscou, acusou quatro suspeitos neste domingo (24) pelo ataque em uma casa de shows na sexta-feira (22), que deixou ao menos 137 pessoas mortas, em um ato de terrorismo, segundo a agência de notícias estatal russa TASS.

Os quatro suspeitos foram identificados como Dalerdzhon Barotovich Mirzoyev, Shamsidin Fariduni, Muhammadsobir Fayzov e Saidakrami Murodali Rachabalizoda. Segundo comunicado publicado no Telegram, os quatro foram colocados sob custódia por dois meses até o julgamento.

Os suspeitos podem pegar prisão perpétua, de acordo com a agência de notícias RIA.

As autoridades russas disseram que 11 pessoas foram detidas, incluindo os quatro homens armados que fugiram da sala de concertos e seguiram para a região de Bryansk, cerca de 340 km a sudoeste de Moscou.

Relembre o caso

Na sexta-feira, homens armados invadiram uma casa de shows popular perto de Moscou e abriram fogo, de acordo com informações preliminares do Serviço Federal de Segurança da Rússia.

Vídeos do local do ataque, a casa de concertos Crocus City Hall, mostram o vasto complexo em chamas e fumaça subindo no ar.

 

 

A agência RIA Novosti informou que os indivíduos armados “abriram fogo com armas automáticas” e “lançaram uma granada ou uma bomba incendiária, que iniciou um incêndio”.

Ao menos 137 pessoas morreram em decorrência do ataque, entre elas, pelo menos três crianças. Horas depois, o Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque em um comunicado publicado pela agência de notícias Amaq, filiada ao grupo.

No sábado (23), o grupo publicou um vídeo que diz ter sido feito no momento do ataque pelos próprios atiradores. As imagens foram confirmadas por geolocalização.

Dia de homenagens

Vladimir Putin acende vela em homenagem aos mortos no ataque à casa de shows em Moscou / REUTERS

O domingo foi marcado por luto e homenagens às vítimas do ataque à casa de shows Crocus. Uma multidão se reuniu em frente ao local com flores. Padres realizaram uma cerimônia no local.

O presidente russo, Vladimir Putin acendeu uma vela em memória dos mortos no ataque.

Um dia antes, Putin disse que todos os responsáveis pelo crime seriam punidos. Dirigindo-se à nação, o líder russo disse que os suspeitos tentaram escapar em direção à Ucrânia e que informações preliminares mostraram que algumas pessoas do lado ucraniano se prepararam para deixá-los atravessar a fronteira.

A Ucrânia negou repetidamente qualquer papel no ataque, que Putin também classificou como “terrorismo internacional.”

Fonte: CNN Brasil

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *