Projeto visa levar uma alimentação saudável para quem mais precisa, em 17 municípios da Bahia (Foto: André Frutuôso/ASCOM CAR)

O Governo do Estado da Bahia anunciou, quinta-feira (21), no Diário Oficial do Estado, o resultado final do edital Comida no Prato. É uma iniciativa estratégica, que faz parte do Programa Estadual Bahia Sem Fome, voltada para garantir o acesso à alimentação a mais de 20 mil baianos em situação de vulnerabilidade alimentar.

Comida no Prato é uma ação executada em parceria com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e conta com um investimento de mais de R$ 24 milhões.

O objetivo é fornecer mais de dois milhões de refeições para famílias carentes, beneficiando diversos grupos em situação de vulnerabilidade, como pessoas em situação de rua, trabalhadores de baixa renda, desempregados, idosos, crianças e mães solo, entre outros.

Das 142 inscritas nos maiores municípios do estado, foram selecionadas 100 cozinhas comunitárias, ligadas a 50 organizações sociais já engajadas no trabalho de acesso a alimentos para a população vulnerável. As organizações serão responsáveis pela organização e distribuição das refeições, garantindo, assim, uma ampla cobertura e alcance do programa.

Organizações participantes

As propostas foram avaliadas com base em critérios como experiência em nutrição e engajamento em campanhas de arrecadação de alimentos, entre outros requisitos. Vale destacar que alimentos como batata doce, abóbora e feijão serão fornecidos pela agricultura familiar baiana.

A ação visa levar uma alimentação saudável para quem mais precisa, em 17 municípios da Bahia, onde há maior número de pessoas em situação de insegurança alimentar grave.

No processo seletivo, participaram organizações privadas sem fins lucrativos, como associações ou fundações e sociedades cooperativas, com foco em programas de combate à pobreza, organizações dedicadas à capacitação de trabalhadores rurais e assistência técnica, além de organizações religiosas que conduzem atividades de interesse público e social.

Fonte: Diário Bahia

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *