A Rússia advertiu o Reino Unido nesta segunda-feira que, se armas britânicas forem usadas pela Ucrânia para atacar o território russo, Moscou poderia revidar contra instalações e equipamentos militares britânicos, tanto na Ucrânia quanto em outros lugares.

O embaixador britânico Nigel Casey foi convocado ao Ministério das Relações Exteriores para um protesto formal depois que o ministro das Relações Exteriores, David Cameron, disse que a Ucrânia tinha o direito de usar armas britânicas para atacar a Rússia.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que os comentários de Cameron reconheciam que o Reino Unido agora faz parte de fato do conflito.

“Casey foi avisado de que, em resposta a ataques ucranianos ao território russo com armas britânicas, quaisquer instalações e equipamentos militares britânicos no território da Ucrânia e no exterior” poderiam ser alvos, disse o Ministério das Relações Exteriores.

“O embaixador foi chamado a refletir sobre as inevitáveis consequências catastróficas de tais medidas hostis por parte de Londres e a refutar imediatamente as declarações beligerantes e provocativas do chefe do Ministério das Relações Exteriores da maneira mais decisiva e inequívoca.”

Cameron, durante uma visita a Kiev, afirmou à Reuters na semana passada que a Ucrânia tinha o direito de usar as armas fornecidas por Londres para atingir alvos dentro da Rússia, e que cabia a Kiev decidir se o faria.

“A Ucrânia tem esse direito. Assim como a Rússia está atacando dentro da Ucrânia, é possível entender por que a Ucrânia sente a necessidade de garantir que está se defendendo”, disse Cameron à Reuters do lado de fora da Catedral de São Miguel.

Fonte: CNN Brasil