O Real Madrid prestou queixa à Procuradoria-Geral do Estado, na Espanha, por crimes de ódio e discriminação em novos casos de racismo contra Vinicius Jr. Os episódios denunciados pelo clube aconteceram no arredores dos estádios Olímpico de Montjuic, que recebeu a partida entre Barcelona e Napoli na última terça-feira (12), e Metropolitano, onde Atlético de Madrid e Inter de Milão se enfrentaram no dia seguinte. O clube falou em ‘ódio repetidamente’. A CBF também se manifestou em apoio ao brasileiro.

“O Real Madrid pede que a Procuradoria solicite às forças de segurança as gravações existentes em ambas localizações a fim de identificar os autores dos insultos racistas e de ódio”, escreveu o time espanhol, em nota.

“Condenamos esses violentos ataques de racismo, discriminação e ódio que estão acontecendo, infelizmente, repetidamente contra nosso jogador Vinicius Jr. Nosso clube seguirá trabalhando em defesa dos valores do futebol e do esporte, e se manterá firme na luta por tolerância zero diante de episódios tão repugnantes como os que estão acontecendo nos últimos tempos”, completou.

Racismo contra Vinicius Jr.

Perto do estádio do confronto entre Atlético de Madrid e Inter de Milão, no estádio Metropolitano, um grupo mudou um canto de torcedores do Atleti a fim de ofender Vinicius Jr. Foram entoados gritos de “alé, alé, alé, Vinicius chimpanzé” em vez de um tradicional grito de apoio ao clube. O vídeo foi publicado nas redes sociais.

Gritos de “morte a Vinicius Jr.” também foram ouvidos e gravados nos arredores do confronto entre Barcelona e Napoli.

O brasileiro tem sido alvo frequente de racismo em partidas de clubes espanhóis.

Nesta semana, uma publicação do próprio Real Madrid gerou um embate nos bastidores. O clube publicou uma imagem no Instagram com a foto do jogador beijando o escudo do time e, abaixo, se via uma ‘figurinha’ da logo dos DJs israelenses “Vini Vici”. A logo mostra a evolução do ser humano como macaco até chegar a um DJ.

Segundo informação do site Revelo, confirmada pela ESPN, Vinicius Jr. cobrou a diretoria e ameaçou não entrar em campo na partida contra o Valencia, no último dia 2. O atleta jogou e fez os dois gols que garantiram o empate para os merengues.

CBF se manifesta

Na quinta-feira (14), a CBF prestou apoio a Vinicius Jr. após os casos de racismo desta semana.

“Todo o meu apoio ao Vinicius. Sei que o preconceito atinge a alma. Por isso, vou continuar lutando para punir e retirar os racistas dos estádios. A CBF foi a primeira entidade nacional a incluir penas esportivas contra o racismo e segue na luta sem trégua contra o preconceito”, disse Ednaldo Rodrigues, presidente da entidade.

“O combate ao racismo no futebol é uma das minhas missões também no Conselho da Fifa. Nesta quinta-feira, a Fifa informou que fará um manifesto global contra o racismo em maio. O anúncio será no Congresso da entidade com a participação das 211 filiadas”, seguiu.

“Vinícius, siga fazendo gols, driblando os adversários e encarando os racistas. O futebol brasileiro está ao seu lado, enfrentando os preconceituosos”, completou.

Fonte

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *