Estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional (Ceep) em Saúde do Centro Baiano, localizado em Feira de Santana, garantiram uma vaga na Mostra Científica de Inovação, Tecnologia e Engenharia da Escola Professora Izaura Antônia de Lisboa (Mocitepial), que ocorrerá de 6 a 8 de novembro, em Arapiraca, no Estado de Alagoas. Os alunos apresentarão o projeto “Visita de estudantes ao Museu Antares de Ciência e Tecnologia, na perspectiva da aprendizagem interdisciplinar de Astronomia”, que foi desenvolvido como uma metodologia de aprendizagem para integrar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) com a Educação Profissional e Tecnológica.

Criado pelos estudantes Ana Carolina Ferreira Machado, 18 anos; Cláudio de Jesus Santana, 20 anos; e Flávio Coutinho Pimenta, 17 anos, o projeto tem como objetivo analisar como a visita de estudantes a espaços museais, aliada a trabalhos teórico e práticos, reflete na aprendizagem de temas relacionados à Astronomia. Para tanto, os estudantes realizaram um estudo quali-quantitativo, de caráter exploratório com 11 estudantes do Ensino Médio. “Preparamos um questionário para entender como a aprendizagem interdisciplinar dos estudantes se processa durante a visita e analisamos se os alunos fizeram alguma correlação entre o ambiente dos museus e a Astronomia. A partir disso, criamos gráficos para analisar os resultados”, explicou Cláudio.

Foto: Ascom/SEC

Inicialmente, o projeto foi selecionado e apresentado na Milset Brasil 2024. Na cerimônia de premiação deste evento, eles foram credenciados para participar do Mocitepial 2024. Além dessa mostra, o projeto foi classificado em primeiro lugar na categoria Ciências Exatas da Etapa Territorial da 11ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia, promovida pelo Núcleo Territorial de Educação do Portal do Sertão (NTE 19). Este reconhecimento destaca a excelência e a relevância da pesquisa realizada pelos estudantes.

Para o professor-orientador, Rodrigo de Queiroz Oliveira, ver o projeto dos seus alunos ser exibido em uma mostra científica em outro Estado é uma sensação prazerosa. “É gratificante oportunizar a iniciação científica na Educação Básica, buscando atrair estudantes baianos para a carreira científica. Além disso, desejamos estimular visitas a museus espalhados pela Bahia”, comentou.

Fonte: Ascom/SEC

Fonte: Clique aqui