A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-estar e Proteção Animal (Secis), inicia nesta segunda-feira (17) o plantio das novas mudas de coqueiro na orla do Jardim de Alah. Duas mil mudas devem ser plantadas no local. Elas fazem parte do Viveiro de Coqueiros, iniciativa da Secis que visa multiplicar esta espécie, potencializando a sustentabilidade da nossa capital.

No final de maio, a Prefeitura deu início ao Viveiro com a instalação do sistema de irrigação e da proteção antivandalismo, com tela e sombrite para evitar forte incidência de raios solares diretamente nas mudas. Além disso, foram instaladas placas contendo informações sobre o espaço, visando manter a população a par do tema, para que assim possam também apoiar, cuidar e manter o projeto.

A escolha do local se deu pelas condições climáticas. A orla do Jardim de Alah é uma das áreas de maior salinidade e força de ventos da cidade. Desenvolvendo o viveiro de coqueiros nessa região, aproveitando o ecossistema de restinga, a Prefeitura procura criar plantas que tenham capacidade de se adequar nas demais regiões da cidade, beneficiando áreas como Rio Vermelho, Morro do Cristo, Cidade Baixa, Subúrbio Ferroviário, nova orla de Pituaçu, Stella Maris, Barra e Pituba. Assim, os coqueiros desenvolvidos no viveiro poderão ser transplantados por toda Salvador, promovendo uma cidade mais sustentável.

Com sistema de irrigação por aspersão, cercamento de eucalipto com tela revestida de PVC, semelhante a alambrado, o viveiro vai contar com coqueiros plantados com 50 centímetros, com expectativa de que em um ano e meio eles estejam preparados para o transplantio, sendo realocados em outros locais da cidade.

Além disso, o espaço para a implantação do viveiro precisava ser uma área com um tamanho razoável, para ter o espaçamento mínimo entre os coqueiros. Com 3,2 mil m² de área total e o objetivo de plantar mais de 2 mil coqueiros, respeitando o espaço mínimo de aproximadamente 1,5 metro entre eles, a criação do espaço tem o intuito de proteger e desenvolver a flora da cidade.

Expansão – De acordo com o secretário da Secis, Ivan Euler, a criação do viveiro é uma forma de preservar os coqueirais da cidade, a exemplo deste trecho do Jardim de Alah e do que fica situado do Morro do Cristo, na Barra. “Precisamos promover essa renovação. Apesar de longevos, os coqueirais não duram para sempre. Então, anualmente, muitos são perdidos. Este Viveiro tem a proposta de contrapor essa perda para, no futuro, transplantarmos os coqueiros, já adaptados ao clima de Salvador, para outras áreas, conforme a necessidade”, garante.

Este é o segundo viveiro de plantas de Salvador, sendo o primeiro focado exclusivamente em coqueiros. O outro, localizado na Praia do Flamengo, é dedicado a conservar as plantas da restinga, que é um tipo de vegetação rasteira e arbustiva, nativa do local, e são geralmente encontradas na beira da praia, a exemplo de cactos, bromélias, sumarés, salsão-da-praia e samambaias, dentre outras.

Texto: Ascom/Secis

Fonte: Clique aqui