Pelo menos 19 pessoas morreram e 23 ficaram feridas devido ao fogo israelense contra residentes de Gaza que aguardavam ajuda humanitária na rotatória do Kuwait, na Cidade de Gaza, no sábado (23), de acordo com o Gabinete de Mídia do governo em Gaza, controlado pelo Hamas.

“O exército de ocupação e os tanques abriram fogo com metralhadoras contra as pessoas famintas que esperavam por sacos de farinha e ajuda num local remoto que não representava uma ameaça para a ocupação”, disse o Gabinete de Comunicação Social do Governo em Gaza.

As Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram que os relatos alegando que atacaram dezenas de habitantes de Gaza em um comboio de ajuda estão incorretos e que uma revisão do caso está em andamento.

A rotatória do Kuwait na Cidade de Gaza tornou-se conhecida como uma área onde caminhões de ajuda distribuem alimentos, atraindo multidões de pessoas desesperadas por abastecimentos.

Os mortos e feridos foram levados para o hospital batista Al-Ahli, a leste da cidade de Gaza, de acordo com as autoridades de Gaza e com o jornalista local Khader Al-Za’anoun, que trabalha para a CNN no terreno.

Um porta-voz da Direção de Defesa Civil de Gaza, capitão Mahmoud Basal, afirmou que as vítimas foram “resultado da ocupação das forças israelenses que visavam os residentes que foram procurar comida para ajudar as suas famílias e filhos”.

Enquanto isso, a pessoas no norte de Gaza. Ao aproximar-se do ponto de distribuição designado, o comboio foi interceps FDI disseram em um comunicado: “Esta manhã, às 11h [hora local], as FDI facilitaram um comboio de ajuda para entregar alimentos àstado e saqueado por centenas de habitantes de Gaza, a norte do corredor humanitário.”

“As descobertas preliminares determinaram que não houve ataque aéreo contra o comboio, nem foram encontrados incidentes de forças das FDI disparando contra as pessoas no comboio de ajuda”, afirmou a FDI.

Num vídeo da CNN gravado no hospital após o caso, vários familiares das vítimas dizem que os seus entes queridos estavam à espera para conseguir farinha e comida quando as forças israelenses dispararam contra eles.

Um homem no vídeo, Ahmad Al-Ghoul, disse que seu primo foi morto no ataque, acrescentando: “Onde está a proteção internacional? Ele foi buscar comida para alimentar os filhos, irmãos e mãe, ele tem 15 pessoas para cuidar”.

O vídeo do local nas redes sociais também mostra vários feridos, bem como uma pessoa que parece morta, sendo carregada da área em macas improvisadas.

Vários ataques mortais perpetrados por soldados israelenses contra multidões de civis que faziam fila para receber ajuda foram relatados nas últimas semanas. O Gabinete de Comunicação Social do Governo, com sede em Gaza, afirmou no início deste mês que pelo menos 400 pessoas foram mortas em vários incidentes semelhantes desde o início da guerra.

A CNN não pode confirmar de forma independente os números do governo de Gaza devido à falta de acesso da mídia internacional à faixa.

Na semana passada, as Forças de Segurança Interna Palestinas na Cidade de Gaza disseram que as reuniões na rotatória do Kuwait seriam proibidas para salvaguardar vidas, à luz dos “frequentes massacres” ali perpetrados pelas forças israelenses. Não está claro por que a ajuda estava sendo distribuída na área da rotatória do Kuwait no sábado.

Fonte: CNN Brasil

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *