Os pais de Madeleine McCann, uma criança britânica que desapareceu em Portugal em 2007, marcaram nesta sexta-feira (3) o 17º ano do seu desaparecimento. Eles agradeceram ao mundo por lembrar sua filha e apoiá-los.

“Já passou 17 anos desde que Madeleine nos foi tirada. É difícil dizer esse número sem balançar a cabeça em descrença. Embora tenhamos sorte em muitos aspectos e possamos viver uma vida relativamente normal e agradável agora, “viver no limbo” ainda é muito perturbador”, disseram.

“E a ausência ainda dói. Seu apoio continua a nos encorajar e reforça nossa força para continuar. Sabemos que o amor e a esperança por Madeleine e a vontade de a encontrar, mesmo depois de tantos anos, permanecem, e estamos verdadeiramente gratos por isso”, destacaram.

Madeleine tinha três anos quando desapareceu do apartamento onde ela e a sua família estavam de férias em Portugal.

Kate e Gerry McCann deixaram a garota e seus gêmeos mais novos dormindo sozinhos enquanto jantavam com amigos.

Eles ressaltaram que estavam na propriedade, a poucos metros de distância, e verificavam as crianças a cada meia hora.

Kate relatou encontrar as persianas abertas e a cama de Madeleine vazia.

O casal foi considerado suspeito logo após o desaparecimento de Madeleine, mas mais tarde foram liberados.

Em 2020, um procurador alemão apontou Christian Brueckner, condenado por abuso sexual, como suspeito. Na época, ele morava a um quilômetro de distância do resort onde os McCann estavam hospedados.

Ele está atualmente na prisão, condenado por estuprar uma mulher idosa no mesmo resort. Brueckner não foi acusado pelo desaparecimento de McCann e nega qualquer envolvimento.

Os procuradores ainda estão trabalhando para coletar evidências suficientes para provar ao tribunal que podem acusá-lo e condená-lo.

Fonte: CNN Brasil