O que está acontecendo com a família real britânica? Em janeiro, um comunicado do Palácio de Kensington anunciou que Kate MIddleton, princesa de Gales, havia sido submetida a uma operação abdominal planejada e estava internada no hospital. Algo que surpreendeu bastante.

Uma semana depois, recebemos um comunicado do Palácio de Buckingham informando que o rei Charles III seria submetido a uma operação para correção de aumento da próstata.

Essa situação foi surpreendente, porque foi uma afirmação atrás da outra, em um país onde a monarquia normalmente não fala sobre a sua saúde. Mas, a partir desse momento, e todos nos lembramos disso, foram divulgadas notícias cada vez mais preocupantes.

Foi dito que a permanência de Kate no hospital seria entre 10 e 14 dias e que depois disso ela passaria algumas semanas sem cumprir suas funções oficiais, descansando em casa.

Isso já levantou suspeitas e questionamentos. A operação foi muito mais complicada do que se queria anunciar?

E, mais tarde, soubemos que quando o rei Charles fez a operação, detectaram câncer em outra parte de seu corpo. E esta foi realmente mais uma bomba mediática na Inglaterra, algo que já comentamos há muito tempo.

Talvez o desejo de transparência do próprio rei estivesse presente, mas era apenas meia transparência. O monarca agradeceu ao povo pelas mensagens sobre sua saúde e iniciou o tratamento contra o câncer, mas não informou que tipo de câncer ele tem. Se é algo menor, se fé complicado, se é grave ou não. Nada é realmente conhecido.

E em relação à princesa de Gales o silêncio é muito maior.

Acabei de voltar de Londres e descobri que Kate e William são os membros favoritos da realeza no Reino Unido. Conversei com taxistas, com funcionários das lojas do hotel, com amigos… Tenho feito minha pesquisa pessoal.

Foto compartilhada pelo Palácio de Kensington com a Princesa de Gales e os três filhos / Divulgação/Kensington Palace

E todos sentem uma grande simpatia por este casal, são, sem dúvida, os favoritos dos cidadãos e se preocupam com o que se passa com a monarquia inglesa.

Qual poderia ser o efeito dos problemas de saúde na monarquia no Reino Unido? O que aconteceria se o príncipe William decidisse se dedicar em tempo integral aos cuidados de Kate? O que aconteceria se o rei Charles ficasse gravemente doente e morresse? O país está pronto para outra transição ao trono?

E quanto aos comentários que ouvi na televisão e na rádio britânicas de que o príncipe Harry precisaria voltar e assumir algumas funções oficiais?

As perguntas são muitas, e amigos jornalistas me disseram, enquanto estive em Londres, que nunca houve um momento mais incerto e pior na família real britânica nos últimos anos.

Isso porque há um acúmulo de problemas e acontecimentos muito complexos, incluindo a morte da tão querida Rainha Elizabeth II. E, agora, sobre a foto de Kate, algo pelo que a própria princesa de Gales se desculpou depois de ter editado a imagem.

O que deveria ter sido algo menor, mais uma vez desencadeou um enorme escândalo e questionamentos sobre o que está acontecendo com Kate e por que eles não estão dizendo a verdade.

De qualquer forma, fico muito triste ao ver como a monarquia inglesa, sempre tão correta e reservada, está no meio desta tempestade mediática. E no meio destes problemas de saúde, o mundo quer saber o que realmente está acontecendo.

Isso não acabou aqui. Está apenas começando e espero que tudo se estabilize, porque, no final das contas, a monarquia britânica é um grande negócio e uma grande atração turística.

E todos gostamos destas histórias de reis, rainhas, princesas, príncipes, palácios e castelos. E ninguém nos mostra esse show de hype como o Reino Unido.

Nota do editor: Mari Rodríguez Ichaso é colaboradora da revista Vanidades há várias décadas. É especialista em moda, viagens, gastronomia, arte, arquitetura e entretenimento, produtora de cinema e colunista de estilo da CNN en Español. As opiniões expressas nesta coluna são exclusivamente dela e não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN.

Fonte: CNN Brasil