A obesidade infantil é o ganho excessivo de peso na infância, podendo causar baixa autoestima e sintomas como dificuldade para respirar durante o sono, dor nos joelhos e cansaço fácil durante atividades físicas.

Na maioria das vezes, a obesidade infantil é causada por hábitos alimentares pouco saudáveis e uma vida pouco ativa, mas também pode surgir devido a desequilíbrios hormonais ou síndromes genéticas específicas, em alguns casos.

Leia também: Obesidade: o que é, graus, tipos, causas, consequência e tratamento


tuasaude.com/obesidade

Em caso de suspeita de obesidade infantil, é recomendado consultar um pediatra, que é o médico mais indicado para fazer a avaliação inicial do crescimento da criança e verificar se o peso realmente está acima do indicado para sua idade e altura.


Principais sintomas

Os principais sintomas de obesidade infantil são:

  • Ganho excessivo de peso;
  • Comer excessivamente;
  • Cansaço fácil ao fazer atividades físicas;
  • Baixa autoestima;
  • Roncos e/ou pausas na respiração durante o sono;
  • Dor nos joelhos, tornozelo e/ou quadril.

É comum que, como o ganho de peso normalmente é lento, o desenvolvimento de obesidade infantil não seja notado tão facilmente, especialmente quando a criança já apresentava sobrepeso. 

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de obesidade infantil normalmente é feito pelo pediatra por meio da avaliação do peso, da altura da criança e do cálculo do IMC infantil. Confira o que é IMC infantil e como calcular o peso ideal da criança.

Caso deseje marcar uma consulta, é possível encontrar o pediatra mais próximo de você utilizando a ferramenta abaixo:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Pediatras e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, o médico também pode indicar exames, como a dosagem de TSH, T4 livre e cortisol no sangue, para identificar se existe alguma doença que possa estar contribuindo com o ganho excessivo de peso.

Causas de obesidade infantil

As principais causas da obesidade infantil são:

1. Alimentação inadequada

Uma alimentação inadequada, com muitos alimentos gordurosos e/ou ricos em açúcares, como refrigerantes, biscoitos, lanches de fast-food e doces, por exemplo, é um dos principais fatores relacionados à obesidade infantil. 

2. Vida sedentária

Não praticar exercícios de forma regular faz com o corpo gaste menos calorias do que a pessoa ingere, favorecendo o ganho de peso. Hoje em dia, as crianças se tornaram mais paradas, preferindo jogos eletrônicos, computadores e TV, que aliadas a uma alimentação exagerada, leva ao excesso de peso. 

3. Efeito colateral de medicamentos

O uso de medicamentos, como corticoides, anticonvulsivantes e antipsicóticos, pode afetar o metabolismo e causar ganho de peso excessivo em algumas crianças como um efeito colateral.

4. Desequilíbrios hormonais

Desequilíbrios hormonais devido a hipotireoidismo, excesso de cortisol no sangue ou deficiência de hormônio do crescimento, por exemplo, podem favorecer o ganho de peso e, quando não tratados adequadamente, levar ao desenvolvimento de obesidade.   

5. Alterações genéticas

Embora a predisposição genética também possa influenciar o ganho de peso, existem alterações genéticas que levam ao desenvolvimento de síndromes específicas que aumentam muito o risco de obesidade, como a síndrome de Prader-Willi. Veja o que é a síndrome de Prader-Willi e os sintomas.

Como é feito o tratamento

O tratamento da obesidade infantil depende da idade da criança, da causa e da gravidade do caso, mas, na maioria das vezes, envolve a mudança de hábitos alimentares, como limitar o consumo de comida de fast-food, refrigerantes e doces, e aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras, legumes, verduras e frutas. Veja como deve ser a alimentação para crianças acima do peso.

É também importante que a criança se mantenha ativa, devendo ser incentivada a prática de atividades físicas e brincadeiras que ajudem a gastar energia.

Nos casos em que a obesidade infantil está relacionada com alterações genéticas ou desequilíbrios hormonais, o tratamento deve ser específico para a alteração e deve ser feito de acordo com a recomendação do médico.

Como evitar a obesidade infantil

Para prevenir a obesidade infantil deve-se:

  • Garantir que a criança possa dormir o suficiente à noite;
  • Controlar o tempo de uso de telas como celular, televisão ou tablet;
  • Desenvolver hábitos alimentares saudáveis;
  • Limitar o consumo de alimentos pouco saudáveis, como doces, comidas de fast-food e refrigerantes;
  • Estimular a prática de atividades físicas e, para crianças pequenas, brincadeiras ativas.

A obesidade infantil aumenta o risco de problemas de saúde como hipertensão arterial, colesterol alto e diabetes, especialmente na vida adulta. Por isso, é importante adotar as medidas adequadas para evitar o seu desenvolvimento.

Fonte: Tua Saúde!