O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, “aprovou os planos de ação em Rafah”, disse seu escritório em um comunicado nesta sexta-feira (15).

“A IDF está se preparando para o lado operacional e para a retirada da população”, disse o gabinete do primeiro-ministro.

O anúncio acontece após uma reunião em Tel Aviv do gabinete de segurança israelense. Não havia mais detalhes imediatamente disponíveis.

Há uma estimativa de 1,4 milhão de pessoas em Rafah, no sul de Gaza, muitas das quais foram deslocadas várias vezes de outras partes de Gaza.

O gabinete do primeiro-ministro também disse que “em relação aos reféns – as exigências do Hamas ainda são ridículas. Uma delegação israelense partirá para Doha depois que o Gabinete de Política de Segurança discutir a posição de Israel.”

Israel pretende transferir os palestinos deslocados de Rafah para “enclaves humanitários” em Gaza antes que qualquer ataque das Forças de Defesa de Israel (IDF) à última área restante em Gaza onde os militares ainda não chegaram, disse o porta-voz da IDF, Daniel Hagari, a repórteres na quarta-feira (13).

A IDF pretende invadir Rafah, disse ele, chamando-o de “algo que precisamos fazer.”

Mas o momento do ataque depende das “condições para permitir isso”, disse Hagari.

Fonte: CNN Brasil