A Rússia e a Otan estão agora em “confronto direto”, disse o Kremlin quando a aliança liderada pelos EUA marcou seu 75º aniversário nesta quinta-feira (4).

As expansões da Otan a leste são uma fixação do Presidente Vladimir Putin, que entrou em guerra na Ucrânia há dois anos com o objetivo declarado de impedir que a aliança se aproximasse das fronteiras da Rússia. Em vez disso, a guerra estimulou a Otan, que se expandiu novamente com a entrada da Finlândia e da Suécia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse aos repórteres: “Na verdade, as relações agora caíram para o nível de confronto direto.”

A Otan “já estava envolvida no conflito em torno da Ucrânia (e) continua a se mover em direção às nossas fronteiras e expandir sua infraestrutura militar em direção às nossas fronteiras”, disse ele.

Putin disse repetidamente que a Rússia foi enganada pelo Ocidente no rescaldo da Guerra Fria, quando a aliança do Pacto de Varsóvia de Moscou foi dissolvida, mas a Otan moveu-se para o leste, aceitando antigos membros do pacto e os três Estados bálticos que faziam parte da União Soviética.

O Ocidente rejeita essa versão, dizendo que a Otan é uma aliança defensiva e se juntar a ela foi uma escolha democrática por países que haviam abalado décadas de domínio comunista.

A Otan diz que está ajudando a Ucrânia a lutar por sua sobrevivência diante da agressão russa e forneceu a Kiev armas avançadas, treinamento e inteligência.

A Rússia diz que isso faz da Otan de fato uma parte do conflito. Putin disse em fevereiro que um conflito direto entre a Rússia e a Otan significaria que o planeta estaria a um passo da Terceira Guerra Mundial.

Fonte: CNN Brasil