Lincoln Sena (flautista) e Láercio Souza (violista) são colegas da Osba — Foto: Reprodução / Redes Sociais

O crime aconteceu na madrugada de sábado (23), no Corredor da Vitória, e é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). As defesas dos envolvidos afirmam que eles imobilizaram o homem e acionaram a Polícia Militar.

Confira abaixo o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso:

  1. Quem é a vítima?
  2. Quem são os suspeitos do crime?
  3. Quais as circunstâncias do crime?
  4. O que dizem as defesas?
  5. O que aponta a investigação?

Até o momento, a identidade da vítima não foi divulgada. O homem estava sem documentos no momento da ocorrência. Ele chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos.

2. Quem são os suspeitos do crime?

Os quatro suspeitos foram logo identificados. São:

  • O flautista Lincoln Sena Pinheiro, da Orquestra Sinfônica da Bahia;
  • O violista Laércio Souza dos Santos, também da Orquestra Sinfônica da Bahia;
  • O namorado de Lincoln, Marcelo da Cunha Rodrigues Machado;
  • E o morador da região, Sérgio Ricardo Souza Menezes.

Eles foram presos em flagrante e já prestaram depoimento no DHPP.

Os namorados Marcelo Rodriguez e Lincoln Sena são suspeitos de cometerem o crime — Foto: Reprodução/Redes Sociais

3. Quais as circunstâncias do crime?

Informações divulgadas até o momento apontam que Laércio e o casal Lincoln e Marcelo saíam de uma lanchonete na região, por volta das 4h, quando teriam sido abordados pela vítima de espancamento. Nesse momento, o homem teria anunciado um assalto e os três reagiram.

Morador da região, Sérgio passava pelo local e teria se juntado ao grupo na agressão.

Outros moradores relataram que ouviram os gritos da confusão e acionaram a Polícia Militar. Os agentes chegaram ao local e prenderam os quatro envolvidos em flagrante.

4. O que dizem as defesas?

As defesas dos suspeitos não falam em espancamento. Advogado dos três jovens, Vinícius Dantas disse que seus clientes imobilizaram o homem.

“Esse rapaz tentou assaltar os meus clientes, agrediu os meus clientes, que reagiram, imobilizaram, ligaram para o 190, chamaram a polícia, esperaram a polícia chegar no local. No momento, eles soltaram o rapaz pra polícia imobilizar, ele ainda estava com vida, mas antes da polícia encostar nele, ele veio a falecer”, justificou.

Já Danilo Silva, advogado do morador que se envolveu no caso quando passava pelo local, disse que seu cliente tentou apartar a confusão e também ligou para o 190. Segundo o defensor, o homem disse à polícia: “Tentei dar socorro aqui, mas parece que ele foi apagado”.

Em nota, Osba informou que a Associação Amigos do Teatro Castro Alves, gestora da Osba, tomou conhecimento sobre o espancamento durante a manhã e que vai aguardar o andamento das investigações para voltar a se posicionar sobre o caso.

Ressaltou ainda que o crime aconteceu fora do ambiente de trabalho de Lincoln e Laércio.

5. O que aponta a investigação?

Embora tenha identificado e detido os suspeitos, a Polícia Civil não divulgou mais informações sobre o caso. O crime é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável por esclarecer as circunstâncias e motivações por trás das agressões.

Veja mais notícias do estado no g1 Bahia.

Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia 💻

Fonte

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *