Herpes é uma infecção viral causada pelo vírus Herpes simplex ou vírus varicela zoster, causando sintomas como bolhas na pele ou mucosa, que podem romper e formar feridas, que coçam e doem.

Existem diferentes tipos de herpes, que variam com o local do corpo em que aparecem e tipo de vírus, assim a infecção pode surgir nos lábios, como a herpes labial, nos olhos, como na herpes ocular, a vulva, vagina, pênis ou ânus, como no caso da herpes genital, ou ainda tórax e barriga, causando a herpes zoster.

O tratamento da herpes é feito pelo clínico geral, dermatologista, infectologista, ginecologista ou urologista, e normalmente envolve o uso de remédios antivirais, como aciclovir ou valaciclovir, para reduzir a duração dos sintomas, facilitar a cicatrização da pele e diminuir o risco de recorrência ou transmissão.


Sintomas de herpes

Os principais sintomas de herpes são:

  • Pequenas bolhas com líquido na pele ou mucosas;
  • Dor, formigamento ou queimação na região afetada;
  • Vermelhidão ou coceira no local;
  • Feridas ou úlceras dolorosas quando as bolhas se rompem;
  • Ínguas próximo ao local da infecção;
  • Crostas no local quando as feridas cicatrizam;
  • Febre baixa;
  • Mal estar geral.

Esses sintomas podem surgir cerca de 2 a 12 dias após a exposição ao vírus do Herpes simplex. Já no caso da herpes-zoster, os sintomas podem surgir na idade adulta após os 50 anos, devido a reativação do vírus varicela zoster, o mesmo que causa a catapora. Saiba identificar os sintomas de herpes labial, genital, ocular e zoster.

No caso da herpes genital, outros sintomas que podem surgir são dor ou ardor ao urinar, corrimento vaginal ou saída de secreção pela uretra ou ardor e dor ao defecar, caso as bolhas estejam próximas do ânus.

Teste de sintomas de herpes

Para saber a possibilidade de ter herpes genital, por favor, selecione os sintomas que apresenta:

Este teste é uma ferramenta que serve apenas como meio de orientação, não servindo como diagnóstico e não substitui a consulta com o ginecologista, urologista ou infectologista.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da herpes é feito pelo dermatologista, infectologista, clínico geral, ginecologista ou urologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e exame físico das lesões na pele ou mucosas.

Marque uma consulta com o dermatologista na região mais próxima de você:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Dermatologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Exames para herpes

Os exames para herpes que podem ser indicados pelo médico são:

  • Exame de sangue: para detectar anticorpos anti-HSV ou anti-VZV produzidos pelo sistema imunológico para combater a infecção; 
  • Swab da lesão: feito recolhendo uma amostra do líquido das bolhas para analisar em laboratório e identificar o tipo de vírus;
  • RT-PCR: permite detectar com exatidão o tipo de vírus do herpes, como HSV-1, HSV-2 ou VZV, através de uma amostra do líquido da lesão ou amostra de sangue;
  • Exame de urina e urocultura: nos casos de sintomas de herpes genital;
  • Teste de Tzanck: feito através de uma raspagem das lesões para avaliar o tecido no microscópio e detectar células específicas presentes quando há infecção pela herpes.

Esses exames permitem ao médico descartar outras condições com sintomas semelhantes, como estomatite aftosa, síndrome de Stevens-Johnson, cancroide, sífilis, linfogranuloma venéreo ou conjuntivite alérgica, por exemplo, e assim, confirmar o diagnóstico de herpes.

Leia também: Bolhas na pele: 9 causas comuns (e o que fazer)


tuasaude.com/bolhas-na-pele

Tipos de herpes

De acordo com os sintomas, local em que acontece e tipo de herpes-vírus, a herpes pode ser classificada em alguns tipos, sendo os principais:

1. Herpes zoster

A herpes zoster, conhecida popularmente como cobreiro, é um tipo de herpes causado pelo vírus da varicela zoster, o mesmo que causa a catapora.

Isto porque o vírus permanece inativo no organismo por muitos anos, podendo ser reativado quando o sistema imune está enfraquecido, como no caso de infecção pelo HIV, tratamento do câncer ou doenças autoimunes, por exemplo. 

A herpes zoster pode surgir em qualquer parte do corpo, sendo mais comum no tórax, nuca, região lombar ou na face, na região do nervo trigêmeo, e pode causar complicações, como a neuralgia pós-herpética. Entenda o que é a neuralgia pós-herpética e como tratar.

Leia também: Herpes zoster é contagioso?


tuasaude.com/contagio-do-herpes-zoster

2. Herpes genital

A herpes genital é uma infecção sexualmente transmissível (IST) causada pelo vírus do Herpes simplex, principalmente do tipo 2 (HSV-2), que pode ser transmitido através do contato com a saliva ou as bolhas do parceiro(a) por meio da relação sexual desprotegida. 

Esse tipo de herpes pode afetar a vulva ou área interna ou externa da vagina, em mulheres sendo também chamada de herpes vaginal ou herpes genital feminina, ou a glande ou haste do pênis ou escroto em homens, sendo conhecida como herpes genital masculina.

Além disso, a herpes genital pode surgir no períneo, região perianal ou na parte interna do ânus, em homens ou mulheres. Saiba identificar os sintomas de herpes genital. 

3. Herpes labial

A herpes labial é um tipo de herpes causada pelo vírus Herpes simplex, principalmente o tipo 1 (HSV-1), que normalmente é transmitido através do contato direto com a ferida da herpes de outra pessoa ou por compartilhar copos ou pelo contato íntimo desprotegido.

Esse tipo de herpes caracteriza-se pela formação de feridas abertas inflamadas ao redor da boca, que duram cerca de 7 a 10 dias. Confira todos os sintomas da herpes labial. 

4. Herpes ocular

A herpes ocular, é uma infecção causada pelo vírus Herpes simplex tipo 1 podendo atingir um ou os dois olhos e levar ao aparecimento de sintomas semelhantes aos da conjuntivite, como coceira nos olhos, lacrimejamento excessivo, inchaço, vermelhidão ou irritação no olho, por exemplo. Saiba identificar os sintomas da herpes ocular.

Além disso, a herpes ocular também pode ser causada pelo vírus da varicela zoster, e normalmente os sintomas surgem na testa e em volta dos olhos, causando aparecimento de bolhas, vermelhidão na pele, inchaço nos olhos e dor intensa.

5. Estomatite herpética

A estomatite herpética é um tipo de herpes causada pelo vírus da Herpes simplex, principalmente pelo HSV-1 e raramente pelo tipo HSV-2, causando o aparecimento das bolhas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas, por exemplo.

Além disso, também pode surgir dor ou dificuldade para se alimentar ou engolir ou febre alta cerca de 1 a 2 dias antes das bolhas aparecerem. Confira todos os sintomas da estomatite herpética.

6. Herpes neonatal

A herpes neonatal é um tipo de herpes causado pelo vírus Herpes simplex que afeta recém-nascidos provocando os sintomas de herpes que podem surgir na pele, olhos ou boca, ou pode ocorrer de forma disseminada, provocando encefalite, hepatite ou pneumonite, por exemplo.

Esse tipo de herpes pode ser transmitido ao bebê durante o parto vaginal quando a mãe apresenta a herpes genital pela primeira vez nas últimas 6 semanas de gravidez. Embora seja raro, também pode ocorrer transmissão durante a gestação, o que geralmente pode levar à morte fetal. Saiba mais sobre a herpes genital na gravidez.

Possíveis causas

A herpes é causada por uma infecção pelos vírus Herpes simplex, tipo 1 (HSV-1) ou tipo 2 (HSV-2) ou pelo vírus da varicela zoster, que passam a se multiplicar no local da infecção na pele ou mucosas.

Geralmente, após ter a infecção inicial do herpes simples ou a catapora, o vírus permanece adormecido nos nervos por muitos anos, podendo ser reativado quando o sistema imune está enfraquecido, como no caso de infecção pelo HIV, tratamento do câncer, doenças autoimunes, exposição excessiva ao sol, lesão no olho ou estresse por exemplo.

Como acontece a transmissão

A transmissão da herpes ocorre através do contato direto com as bolhas da pele ou mucosas contendo o líquido, de uma pessoa infectada por um dos tipos da Herpes simplex. Veja todas as formas de transmissão da herpes.

Além disso, no caso da herpes genital, a transmissão ocorre por meio da relação sexual desprotegida com uma pessoa com uma pessoa com a infecção ativa.

Leia também: Transmissão do herpes genital: como se pega (e como evitar)


tuasaude.com/como-se-pega-herpes-genital

Já a herpes zoster é transmitido através do contato com as secreções liberadas pelas feridas do herpes zóster. No entanto, quando isso acontece, o mais provável é que a pessoa desenvolva catapora, e não herpes zóster, especialmente se nunca tiver tido catapora. Entenda se o herpes zoster é contagioso.

Como é feito o tratamento

O tratamento da herpes deve ser feito com orientação do dermatologista, infectologista, clínico geral, ginecologista ou urologista, com o objetivo de aliviar os sintomas, assim como reduzir sua duração, facilitar a cicatrização das lesões e diminuir o risco de recorrência ou transmissão.

Os principais tratamentos que podem ser indicados pelo médico são:

1. Pomadas para herpes

As pomadas para herpes podem ser usadas nos casos de herpes labial ou herpes genital, como as pomadas de aciclovir ou penciclovir, por exemplo, pois têm ação antiviral que reduz a multiplicação do vírus Herpes simplex tipos 1 e 2, a infecção de novas células. Veja as principais pomadas para herpes labial e herpes genital.

Essas pomadas podem ser usadas desde os primeiros sintomas da herpes simples, como coceira, sensação de ardor ou formigamento no local, até o desaparecimento total das feridas, e devem ser usadas com indicação e orientação médica.

No caso da herpes ocular, o oftalmologista pode indicar o uso da pomada de aciclovir oftálmica.

Além disso, o médico também pode recomendar o uso de pomadas anestésicas ou a pomada de capsaicina, para aliviar os sintomas da herpes simples ou herpes-zoster.

Leia também: Tratamento para herpes labial


tuasaude.com/tratamento-para-herpes-labial

2. Comprimidos antivirais

Os comprimidos antivirais, como aciclovir, valaciclovir ou fanciclovir, que podem ser indicados para herpes labial ou genital inicial ou recorrente, ou herpes zoster, além da prevenção de herpes em pessoas com o sistema imune enfraquecido.

Esses remédios devem ser usados com indicação médica, com doses e pelo tempo de tratamento orientado pelo médico.

Leia também: Tratamento para herpes genital: pomadas, remédios e cuidados


tuasaude.com/tratamento-para-herpes-genital

Além disso, no caso da neuropatia pós-herpética, o médico pode indicar o uso de remédios anticonvulsivantes, como pregabalina ou gabapentina, para aliviar a dor.

3. Alimentação para herpes

A alimentação para herpes pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico a combater a infecção pelos vírus da herpes, sendo recomendado consumir alimentos ricos em lisina, zinco, vitamina C, selênio e ômega 3, por exemplo. Veja como deve ser a alimentação para herpes.

Além disso, para aliviar a dor e dificuldade para engolir causados pela estomatite herpética, deve-se priorizar consumir alimentos mais líquidos ou pastosos, como sopas, mingaus e purés, e evitar alimentos ácidos ou apimentados. 

4. Remédios caseiros

Os remédios caseiros para herpes labial, como o chá de alcaçuz ou a infusão de tomilho, podem ser usados para complementar o tratamento com pomadas ou comprimidos indicados pelo médico, pois possuem ação anti-inflamatória, analgésica e antiviral, que ajudam a aliviar os sintomas.

Já no caso da herpes genital, pode-se fazer banhos de assento com chá de manjerona ou com infusão de hamamélis, por exemplo. Saiba como preparar os remédios caseiros para herpes genital.

Além disso, no caso da herpes zoster algumas opções de remédios caseiros são o banho com aveia ou camomila, pois podem ajudar a aliviar a coceira e o desconforto, além de acelerar a cicatrização da pele. Veja todas as opções de remédios caseiros para herpes zoster.

Herpes tem cura?

A herpes não tem cura, pois não existem remédios que são capazes de eliminar os vírus do organismo, mas apenas impedir sua multiplicação, aliviando os sintomas mais rapidamente e impedindo que outras células sejam infectadas. Entenda porque a herpes não tem cura.

Como prevenir

Algumas formas de prevenir a herpes são:

  • Evitar beijar pessoas com feridas na boca ou passar batom emprestado;
  • Não compartilhar talheres, copos, escova de dentes ou toalhas de rosto;
  • Evitar comer ou provar comida de outras pessoas como picolé, pirulito ou sorvete;
  • Usar sempre camisinha em todos os contatos íntimos;
  • Não ter contato íntimo com pessoas que tenham infecção ativa, ou seja, com bolhas ou feridas genitais da herpes;
  • Não receber sexo oral de uma pessoa que tenha as bolhas de herpes labial;
  • Evitar compartilhar produtos de higiene, como sabonete ou esponjas de banho, quando o parceiro estiver com vermelhidão ou feridas com liquido na região dos genitais, coxas ou ânus.

Além disso, no caso da herpes zoster a melhor forma de prevenção é tomar a vacina da herpes zoster, que é indicada a partir dos 50 anos, para evitar o seu desenvolvimento ou prevenir o surgimento da neuralgia pós-herpética. Veja quanto tomar e as principais vacinas para herpes zoster.

Fonte: Tua Saúde!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *