Foto: Thiago Soares/Folha Vitória

O Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) anunciou, neste domingo (24), o envio de uma equipe para prestar apoio aos dez municípios do Espírito Santo atingidos pelas fortes chuvas que castigam a região Sudeste do Brasil desde a última sexta-feira (22).

Segundo a pasta, estão na lista as cidades de Alfredo Chaves, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Vargem Alta, Mimoso do Sul, Ibitirama, Muqui, Muniz Freire, Guaçuí e Castelo

O ministério ainda informou que já solicitou a mobilização das Forças Armadas, via Ministério da Defesa, para apoio nas ações de socorro e assistência à população afetada.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Segundo a Defesa Civil do estado, foram contabilizados 14 em Mimoso do Sul e outros 2 na cidade de Apiacá. 

A Defesa Civil do município segue monitorando os pontos de alagamento na cidade. No total, 4.481 pessoas estão desalojadas na região e 255 desabrigados.

“É uma recomendação do presidente Lula que sempre tratemos assuntos de desastres com todas as cidades e estados para as ações de resposta com a maior brevidade possível”, ressalta o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.

O diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), Armin Braun, já está no Espírito Santo, coordenando uma equipe de integrantes do Grupo de Apoio a Desastres (Gade), no auxílio ao estado e às cidades atingidas. Além disso, representantes do Ministério da Saúde fazem parte da equipe.

“No momento, as águas já diminuíram bastante, o que ajuda a identificar o tamanho dos danos causados. Muitas equipes da defesa civil do estado permanecem em campo para fazer esse levantamento.”, declarou o diretor. “A primeira resposta do Espírito Santo foi importante, e estamos nos reunindo para avaliarmos os apoios adicionais”, completou.

Os técnicos da Defesa Civil Nacional auxiliarão membros das cidades afetadas pelas fortes chuvas a fazerem os planos de trabalhos necessários para obter recursos do Governo Federal, seja para assistência humanitária, restabelecimento ou reconstrução.

*Com informações do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional

Fonte

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *