Richard Nunes, então secretário de Segurança na intervenção de 2018, foi quem nomeou Rivaldo Barbosa, apesar da contraindicação da inteligência

O relatório da PF (Polícia Federal) sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, divulgado no domingo (24.mar.2024), mostra que a nomeação de Rivaldo Barbosa para chefe da Polícia Civil do Rio foi uma decisão do general de Exército Richard Nunes, apesar da contraindicação da inteligência da Secretaria de Segurança Pública.

Em abril de 2024, segundo apurou o Poder360, Richard deve ser nomeado chefe do Estado Maior do Exército, posto que atua como um nº 2 do comandante da Força. Ele assumirá o lugar de Fernando José Sant’ana Soares e Silva, que irá para reserva remunerada.

Em 2018, o general foi nomeado secretário de Segurança do Rio pelo então interventor federal Walter Braga Netto, que disputou a eleição presidencial em 2022 ao lado de Jair Bolsonaro (PL).

Rivaldo Barbosa, escolhido pelo general Richard para chefiar a Polícia Civil do Estado, foi preso no domingo (24.mar) por suspeita de planejar o assassinato de Marielle e obstruir as investigações, segundo a Polícia Federal.

O delegado foi nomeado por Richard em 8 de março de 2018 e tomou posse 1 dia antes do crime, em 13 de março.

RELATÓRIO

O subsecretário de Inteligência do Rio de Janeiro em 2018, Fábio Galvão, foi contrário à nomeação de Rivaldo Barbosa para chefiar a Polícia Civil do Rio em março de 2018, segundo informou a PF (Polícia Federal) em relatório sobre o caso Marielle. Leia a íntegra do documento (PDF – 22 MB).

Segundo a PF, Richard recebeu uma contraindicação na época, mas rejeitou por entender que não se pautava em “dados objetivos” e por isso “bancou a nomeação de Rivaldo à revelia do que havia sido recomendado”.

Fábio Galvão, responsável pelo alerta ao militar, foi exonerado –expressão própria do serviço público para desligamentos– em agosto de 2018. À época, suspeitou-se que o motivo da saída foi a contraindicação de Rivaldo.

Fonte

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *