A comunicação vive hoje uma tempestade perfeita: a centralidade das tecnologias de informação, as novas formas de consumo de informação e conhecimento, a inteligência artificial no dia a dia das equipes, os impactos da desinformação, o esgotamento de alguns modelos de pesquisa e monitoramento das notícias e um campo de atuação profissional sem regulamentação há 15 anos no país. Esse cenário foi tema de debates no 5º Fórum Nacional das secretarias estaduais de Comunicação, nesta terça-feira (4), em Brasília.

O quadro atual demanda uma comunicação pública mais capaz de ouvir os cidadãos, se conectar com o que as pessoas priorizam e demandam, gerar conexões com diferentes gerações e com diversos segmentos da população, lembraram Silvio Meira, professor emérito da Universidade Federal de Pernambuco e cientista chefe da TDS.Company e a especialista em marketing, Rosário Pompeia, em conversa com 26 secretários estaduais de Comunicação. “Ouvir, propor e unificar. É preciso entender a inteligência artificial, como surgem as fake news, como funciona hoje a comunicação por plataformas que conectam pessoas, marcas, instituições e políticas públicas. A comunicação deve estar na estratégia de governo todo o tempo”, convidou Pompeia.

Foto: Conselho Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação

Os desafios da transformação da comunicação, enfrentados por governos em todo o mundo, encontram no Brasil um mercado de trabalho no qual a profissão de jornalista está sem regulamentação desde 2009, quando o Supremo Tribunal Federal decidiu que o diploma de jornalismo não seria mais obrigatório para o exercício da profissão. “Nossa profissão tem um código de ética que faz falta para este momento de proliferação de notícias falsas. É urgente a volta da exigência do diploma. Cuidar da regulamentação é apoiar um jornalismo de qualidade, voltado à veracidade da informação”, defendeu Octávio Costa, presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em palestra para os 26 Secretários Estaduais de Comunicação reunidos no 5º Fórum.

Foto: Conselho Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação

Programação

Também participam do encontro dos secretários, o ministro Alberto Balazeiro, do Tribunal Superior do Trabalho, Adauto Soares, coordenador de Comunicação e Informação da UNESCO, Rafael Radke, oficial de Projeto da UNESCO, Jarbas Soares, presidente do Conselho Nacional dos Procuradores Gerais do Ministério Público dos Estados e da União e os especialistas em pesquisas de opinião, Marcelo Tokarski e Pedro Barbosa da Opnus.

Quarta-feira

Nesta quarta-feira (5), o 5º Fórum debate a realidade do trânsito no Brasil e seus reflexos sociais com Adrualdo de Lima Catão, secretário Nacional de Trânsito. O senador Eduardo Gomes (PL-TO) vai tratar do Projeto de Lei sobre Inteligência. Outro tema que será abordado no encontro será a importância e os desafios da comunicação pública no Brasil do século XXI apresentado por Cláudia Lemos, presidente da Associação Brasileira de Comunicação Pública.

Foto: Conselho Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação

Heloísa Renata de Santana, presidente da Associação de Marketing Promocional abordará como utilizar o Live Marketing na comunicação Governamental. A última apresentação do segundo dia de evento será TV 3.0, com Cristiano Flôres, diretor geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão.

Ao final do evento, os gestores de comunicação dos estados vão assinar carta-compromisso, elencando prioridades para melhorar ainda mais a comunicação pública em todo o país.

Fonte: Clique aqui

Créditos do autor: Lais Souza

Créditos da imagem: Reprodução/Divulgação

Os direitos de imagem e texto são de autoria dos respectivos autores e editores mencionados no post original. Consulte a fonte primária clicando em ‘Fonte: Clique aqui’. Esta plataforma respeita a legislação de direitos autorais vigente (Lei nº 9.610/1998) e compromete-se a retirar qualquer conteúdo que infrinja os direitos autorais mediante notificação apropriada. Clique em ‘Contato’ para falar conosco.