Fístula perianal ou anal, é uma comunicação anormal entre a última porção do intestino até a pele do ânus, formando uma espécie de túnel estreito, e resultando em sintomas como dor, vermelhidão e sangramento pelo ânus.

Geralmente, a fístula surge após um abcesso no ânus, no entanto, também pode ser causada por doenças inflamatórias do intestino, como doença de Crohn ou diverticulite, por exemplo.

O tratamento é quase sempre feito com cirurgia e, por isso, sempre que existir suspeita de fístula, especialmente caso se tenha tido um abcesso, é recomendado consultar um proctologista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento. Veja quais podem ser as outras causas comuns de dor no ânus ou de coceira na região.


Foto ilustrativa de fístula anal

Sintomas de fístula perianal

Os principais sintomas de fístula anal são:

  • Abertura na pele em volta do ânus;
  • Coceira no ânus;
  • Vermelhidão ou inchaço no local;
  • Dor ou desconforto ao evacuar, sentar ou caminhar;
  • Saída de pus, sangue ou fezes pela abertura da fístula;
  • Febre.

Além destes sintomas, também pode surgir dor abdominal, diarreia, perda de apetite, diminuição do peso corporal e náuseas caso aconteça infecção ou inflamação da fístula.

Nestes casos, é recomendado consultar um proctologista para fazer o diagnóstico da fístula perianal e, assim, iniciar o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da fístula perianal ou anal é feito pelo proctologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e exame físico observando a região anal.

Marque uma consulta com um proctologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Proctologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, o médico pode solicitar exames para avaliar o túnel da fístula e identificar a sua causa, como anuscopia, ultrassom endoanal, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou fistulografia, por exemplo. Saiba como é feita a anuscopia.

Possíveis causas

As principais causas da fístula perianal ou anal são:

  • Infecção anal;
  • Traumas na região anal;
  • Radioterapia para o câncer anal;
  • Inflamação na próstata causada por radioterapia;
  • Parto vaginal complicado, com necessidade de episiotomia;
  • Doenças inflamatórias intestinais, como doença de Crohn ou diverticulite.

Essas condições podem aumentar o risco de desenvolvimento de fístula perianal ou anal, no entanto, na maioria dos casos, está relacionada a um abscesso anal, que pode surgir devido a uma obstrução ou infecção de glândulas anais.

Como é feito o tratamento

O tratamento da fístula perianal ou anal deve ser feito com orientação do proctologista, sendo normalmente realizado com cirurgia, de forma a evitar complicações como infecção ou incontinência fecal.

Cirurgia para fístula perianal

A cirurgia para fístula perianal ou anal, chamada fistulectomia anal, é feita pelo médico da seguinte forma:

  1. Aplicação de anestesia geral ou peridural;
  2. Introdução de uma sonda anal para avaliar a fístula e verificar se existe apenas um túnel ou se se trata de uma fístula complexa, na qual existem vários túneis;
  3. Realização de um corte sobre a fístula para expor todo o túnel entre o intestino e a pele;
  4. Remoção do tecido lesionado do interior da fístula;
  5. Colocação um fio especial dentro da fístula para promover a sua cicatrização;
  6. Realização de pontos no local para fechar a ferida.

Além da fistulectomia anal, existem outros métodos de tratamento das fístulas por meio de cirurgia, como enxertos, tampões e fios de sutura especiais, chamados setons, por exemplo.

Essas técnicas dependem do tipo de fístula e da doença que a causou, como a Doença de Crohn, em que é necessário fazer uso de medicamentos, como o infliximabe antes de qualquer cirurgia. Veja como é feito o tratamento da doença de Crohn.

Como é a recuperação

Após a cirurgia, normalmente, é necessário ficar internado por, pelo menos, 24 horas. Ao ter alta hospitalar, é recomendado fazer repouso por 2 a 3 dias, e tomar os antibióticos e anti-inflamatórios receitados pelo médico para evitar infecção e reduzir a dor e o desconforto.

Para reduzir o risco de infecção, também se deve manter a higiene da região com água e um sabão de pH neutro, além da troca dos curativos.

Durante o pós-operatório é normal que a ferida sangre um pouco, especialmente ao passar papel higiênico na região, no entanto, se o sangramento for muito ou se surgir algum tipo de dor aguda é importante retornar ao médico.

Além disso, na primeira semana também é importante seguir uma alimentação rica em fibras e baixa em resíduos, já que o acúmulo de fezes pode aumentar a pressão sobre as paredes do ânus e dificultar a cicatrização. Veja como fazer este tipo de alimentação.

Quando ir no médico

É recomendado consultar imediatamente o proctologista quando surge:

  • Hemorragia no ânus;
  • Aumento da dor, vermelhidão ou inchaço;
  • Febre acima de 38ºC;
  • Dificuldade para urinar.

Além disso, também é importante ir ao médico caso surja prisão de ventre que não desaparece após 3 dias, mesmo com o uso de laxantes.





99% dos leitores

acham este conteúdo útil



(244 avaliações nos últimos 12 meses)

Imagem do autor

Médica do serviço de Urgência do Centro Hospitalar Universitário de Santo António, em Portugal, com CRM-CE nº 16976 e Ordem dos Médicos Portugueses nº 69634.

Fonte: Tua Saúde!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *