A agência de notícias afiliada ao Estado Islâmico, a Amaq, divulgou um vídeo gráfico no sábado (23) que diz mostrar o ataque de sexta-feira (22) em uma sala de concertos no subúrbio de Moscou gravado por um dos atacantes. As imagens sugerem que os responsáveis pelo ataque tinham uma ligação direta com o Estado Islâmico para enviar o vídeo.

A CNN conseguiu comprovar a geolocalização da sala de concertos e observou que seus metadados de identificação foram apagados.

O vídeo, que tem cerca de 90 segundos de duração, mostra quatro atacantes com seus rostos desfocados e vozes distorcidas no que parece ser o complexo da casa de concertos Crocus.

O vídeo mostra um atacante sinalizando para outro atirador, que passa por uma porta onde as pessoas estão se escondendo e abre fogo sobre elas.

Corpos e sangue podem ser vistos no chão, com fogo à distância.

O vídeo também mostra um dos agressores cortando a garganta de um homem deitado de costas.

O vídeo termina com os quatro atacantes caminhando para dentro do prédio, já que a fumaça pode ser vista à distância.

Na sexta-feira, o Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque, de acordo com um breve comunicado publicado pela Amaq.

No sábado, o presidente russo Vladimir Putin sugeriu que a Ucrânia estava por trás do ataque, afirmando que os responsáveis “tentaram se esconder e furigram em direção à Ucrânia, onde, de acordo com dados preliminares, uma brecha foi preparada para eles do lado ucraniano para que atravessassem a fronteira.”

A Ucrânia negou veementemente qualquer conexão com o ataque de sexta-feira.

Fonte: CNN Brasil

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *