Para assessor do ex-presidente, direita está em seu “melhor momento” desde 2020; petista chamou Bolsonaro de “covardão”

O assessor do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) Fabio Wajngarten criticou uma declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o bolsonarismo nesta 2ª feira (18.mar.2024). Durante a 1ª reunião ministerial de 2024, o petista afirmou que não houve o que as autoridades consideram uma tentativa de golpe de Estado no Brasil porque Bolsonaro foi um “covardão” e não executou o que planejou.

Segundo Wajngarten, o presidente está em “desespero completo” com a direita que disse viver seu “melhor momento desde 2020” enquanto a esquerda estaria em baixa. “É ladeira abaixo”, declarou em seu perfil no X (ex-Twitter).

Ele ainda criticou Lula por realizar a 1ª reunião ministerial do ano quase no final do 1º trimestre. Para o assessor, o governo do petista “derrete” com rapidez.

Fala de Lula sobre Bolsonaro

O petista disse, sem citar seu antecessor, disse que o país correu “sério risco” e que “por pouco não voltou aos tempos tenebrosos”, em referência à ditadura militar. Lula afirmou ainda que Bolsonaro ficou dentro do Palácio do Planalto “chorando” e que depois “fugiu para os Estados Unidos” depois de perder a eleição.

Declarou também que o grupo do ex-presidente financiou as pessoas que protestaram em frente a quartéis na expectativa de que houvesse uma ruptura democrática para mantê-lo na Presidência.

“Se, há 3 meses, quando a gente falava em golpe parecia apenas insinuação, hoje nós temos certeza que esse país correu sério risco de ter um golpe em função das eleições de 2022. E não teve golpe, não só porque algumas pessoas que estavam no comando das Forças Armadas não quiseram fazer, não aceitaram a ideia do presidente, mas também porque o presidente é um covardão”, declarou Lula.

Fonte

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *