A crise de cólica renal é um episódio de dor intensa e aguda na região inferior e lateral das costas, podendo também atingir a parte da frente do abdômen, dificultando as atividades do dia a dia. Em alguns, casos, a cólica renal pode ser acompanhada por ardência ao urinar e presença de sangue na urina.

A cólica renal é causada principalmente pela presença de pedras nos rins, que provocam inflamação e obstrução do fluxo de urina nas vias urinárias. No entanto, pode também ser causada por uma infecção nos rins, presença de cistos ou de um tumor na região.

Veja o vídeo a seguir e entenda mais sobre a cólica renal:

Sintomas de cólica renal

O principal sintoma de cólica renal é a dor intensa no fundo e lado das costas, cuja intensidade pode variar ao longo do dia, podendo dificultar os movimentos e as atividades do dia a dia.

Além disso, a dor da cólica renal pode irradiar para a virilha e também ser sentida na região abdominal ou região geniturinária, podendo variar de acordo com a causa da cólica. Veja como identificar a cólica renal.

Assim, na presença de sintomas que possam indicar cólica renal, é importante consultar o nefrologista ou o urologista para que seja identificada a causa da dor e indicado o tratamento mais adequado.

Leia também: Cólica: o que é, tipos, causas (e o que fazer)


tuasaude.com/colica

Principais causas

As principais causas de cólica renal são:

  • Presença de pedra nos rins;
  • Infecção nos rins, chamada de pielonefrite;
  • Presença de cisto nos rins;
  • Inchaço do rim, chamado de hidronefrose;
  • Tumores renais.

Para identificar a causa da cólica renal, o médico pode indicar a realização de exames de imagem para avaliar os rins, como ressonância magnética, tomografia computadorizada e/ ou ultrassom do abdômen. Conheça outras causas de cólica renal.

Qual médico consultar

O médico mais indicado para diagnosticar e ajudar a tratar uma crise de cólica renal é o nefrologista, pois é o especialista em problemas do rim. No entanto, o urologista também pode ajudar a aliviar os sintomas, encaminhando para um nefrologista caso considere necessário.

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Nefrologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

O que fazer para aliviar a cólica

Em caso de cólica renal, é importante que o nefrologista ou o urologista seja consultado para que seja indicado o melhor tratamento para aliviar a dor, para identificar a causa e para prevenir novas crises de cólica renal.

1. Tratamento com remédios

Para aliviar a dor intensa da crise renal, é importante o uso de medicamentos orais ou aplicados diretamente na veia, que podem ser mais eficazes e causar um alívio mais rápido:

  • Anti-inflamatórios, como Diclofenaco, Cetoprofeno ou Ibuprofeno: costumam ser a primeira opção, já que além de aliviarem a dor, podem diminuir o processo inflamatório que causa inchaço e piora a crise;
  • Analgésicos convencionais, como Dipirona e Paracetamol: são importantes para aliviar a dor;
  • Analgésicos opioides, como Codeína, Tramadol e Morfina: são importantes para diminuir a dor, que precisa ser mais potente a medida que a dor fica mais intensa;
  • Antiespasmódicos, como Hioscina ou escopolamina, conhecida como Buscopan: ajudam a diminuir os espasmos nos rins, bexiga e vias urinárias, que acontecem porque a pedra pode ocluir o fluxo de urina, e isso é uma importante causa da dor;

Outros tipos de remédios também podem ser indicados pelo médico, como antieméticos, como Bromoprida, Metoclopramida ou Dramin, por exemplo, para aliviar náuseas e vômitos.

Além disso, após a crise, o médico também pode indicar o uso de remédios para ajudar a eliminar o cálculo mais facilmente e evitar novas crises, como a tansulosina, por exemplo.

2. Beber bastante água

É recomendado que a pessoa com cólica renal beba entre 2 e 3 litros de água por dia, distribuídos em pequenas tomadas ao longo do dia. A hidratação é essencial tanto durante o tratamento da crise, como após, para facilitar a eliminação da pedra, pois estimula a formação de urina e o funcionamento dos rins, além de evitar o surgimento de novas pedras no futuro.

3. Evitar alimentos ricos em oxalato

Como a principal causa de cólica renal é a presença de pedra nos rins, é fundamental ter atenção aos hábitos alimentares, uma vez que o consumo de alimentos ricos em oxalato pode aumentar o risco de formação de pedras. Assim, é recomendado evitar o consumo de espinafre, cacau, chocolate, beterraba, amendoim, nozes, mariscos e frutos do mar, refrigerantes, café e alguns chás, como o chá preto, mate ou verde.

Também é recomendado evitar excesso de vitamina C e muita proteína, não consumindo mais de 100g por dia, além de ser importante eliminar o sal da dieta. Confira como deve ser a dieta para quem tem cálculo renal.

4. Remédios caseiros

Os remédios caseiros para cólica renal devem ser indicados pelo médico com o objetivo de complementar o tratamento, podendo ser recomendado o consumo do chá de quebra-pedra, que impede a agregação dos cristais, evitando a formação de pedras grandes, que é a principal causa de cólica renal.

Além disso, durante a crise, pode ser feita uma compressa com bolsa de água quente na região dolorida, o que ajuda a dilatar os canais urinários para a passagem do cálculo, além de promover o alívio da dor e do desconforto.

5. Cirurgia

A cirurgia para aliviar a cólica renal é indicada apenas nos casos em que a dor é intensa, persistente e debilitante e não melhora mesmo após o uso de remédios, quando os cálculos urinários são maiores que 0,8 cm ou quando são pequenos mas estão causando obstrução da via urinária e comprometendo a função renal, e quando há suspeita de infecção associada. Saiba mais sobre a cirurgia para pedra nos rins.





95% dos leitores

acham este conteúdo útil



(105 avaliações nos últimos 12 meses)

Imagem do autor

Membro associado da Sociedade Brasileira de Nefrologia com CRM-RJ 8314-5.

Fonte: Tua Saúde!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *