A cetamina é um anestésico e sedativo indicado para cirurgias de curta duração ou procedimentos médicos que não necessitam de relaxamento muscular, como cesárea, desbridamento, enxertos de pele em casos de queimaduras ou punção lombar, por exemplo.

Esse medicamento, também conhecido como quetamina ou ketamina, também pode ser indicado para tratar a depressão grave ou quando essa doença não responde aos tratamentos convencionais. Confira outros tratamentos indicados para depressão.

A cetamina é encontrada somente em hospitais ou clínicas médicas, com os nomes Ketamin ou Ketalar, na forma de injeções ou inalações, que devem ser administradas com doses individualizadas pelo médico.


Para que serve

A cetamina é indicada para:

  • Induzir e manter a anestesia geral para cirurgias de curta duração ou superficiais;
  • Complementar a anestesia, com óxido nitroso ou outros anestésicos;
  • Parto vaginal, cesárea ou distócicos;
  • Exames de diagnóstico invasivos;
  • Manipulação ou redução de fraturas;
  • Curetagem;
  • Desbridamento;
  • Cateterismo cardíaco;
  • Ventriculografia.

Além disso, a cetamina pode ser indicada para anestesia em pessoas que possuem as funções vitais deprimidas, pois não afeta a respiração e o funcionamento dos órgãos vitais.

Cetamina para tratar a depressão

A cetamina também pode ser indicada para tratar a depressão grave ou refratária, que é quando a doença não responde aos tratamentos com os remédios antidepressivos convencionais, ajudando a aliviar rapidamente os sintomas dessa doença.

Isso acontece pois a cetamina ajuda a ativar o glutamato no cérebro, uma substância que, em baixas quantidades, pode causar os sintomas da depressão. Além disso, a cetamina também pode estimular a produção do fator neurotrófico derivado do cérebro, uma proteína que melhora a neuroplasticidade, mudando os padrões de pensamento negativos.

Como usar

A cetamina deve ser usada através de injeção diretamente na veia ou no músculo, ou ainda na forma de spray nasal, que deve ser administrada pelo médico.

As doses da cetamina devem ser calculadas de forma individualizada, levando em consideração a idade, o peso corporal e condição física da pessoa, assim como o tipo e tempo de procedimento a ser realizado.

É importante que após a administração do medicamento a pessoa não dirija, sendo recomendado ter um acompanhante que possa levá-la para casa.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do uso da cetamina são confusão mental, sonhos ou delírios, aumento da pressão sanguínea ou dos batimentos cardíacos.

Além disso, podem surgir efeitos colaterais que devem ser comunicados ao médico imediatamente, como dor ou dificuldade para urinar, perda do controle da bexiga, sangue na urina, tontura, batimentos cardíacos lentos, respiração fraca ou espasmos musculares que podem parecer convulsões.

Quem não deve usar

A cetamina não deve ser usada por pessoas com pressão alta, insuficiência cardíaca grave, intoxicação aguda por álcool ou por pessoas que ingerem bebidas alcoólicas com frequência, ou que já tiveram AVC.

Além disso, esse anestésico não deve ser usado por pessoas que tenham alergia à cetamina ou qualquer outro componente da fórmula.

Durante a gravidez ou amamentação deve ser usada somente com indicação e acompanhamento médico.

Imagem do autor

Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.





94% dos leitores

acham este conteúdo útil



(35 avaliações nos últimos 12 meses)

Histórico de atualizações

Atualizamos regularmente os nossos conteúdos com a informação científica mais recente, para que mantenham um nível de qualidade excepcional.

Bibliografia
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA. Cetamina: a droga que está sendo usada para tratar a depressão. Disponível em: <https://abeso.org.br/cetamina-a-droga-que-esta-sendo-usada-para-tratar-a-depressao/>. Acesso em 18 dez 2023
  • SERVIÇOS E INFORMAÇÕES DO BRASIL. Anvisa autoriza primeiro medicamento inalável para tratar depressão grave. Disponível em: <https://www.gov.br/pt-br/noticias/educacao-e-pesquisa/2020/11/anvisa-autoriza-primeiro-medicamento-inalavel-para-tratar-depressao-grave>. Acesso em 18 dez 2023
  • DIAS, S, Isabela Karina et al. Uso da cetamina na depressão resistente ao tratamento: uma revisão sistemática. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. Vol.71. 3.ed; 247-252, 2022
  • ANVISA. Ketamin. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=KETAMIN>. Acesso em 18 dez 2023
  • WOELFER Marie et al. Ketamine-induced changes in plasma brain-derived neurotrophic factor (BDNF) levels are associated with the resting-state functional connectivity of the prefrontal cortex. The World Journal of Biological Psychiatry. Vol.21. 9.ed; 696-710, 2020
  • GAO, M.; et al. Ketamine use in current clinical practice. Acta Pharmacol Sin. 37. 7; 865-72, 2016
  • ROSENBAUM, S. B.; GUPTA, V.; PATEL, P.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Ketamine. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470357/>. Acesso em 16 fev 2023
  • ORHURHU, V. J.; VASHISHT, R.; CLAUS, L. E, ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Ketamine Toxicity. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK541087/>. Acesso em 16 fev 2023
  • CRISTÁLIA PROD. QUÍM. FARM. LTDA. Ketamin cloridrato de dextrocetamina Solução Injetável – 50 mg/mL. Disponível em: <https://www.cristalia.com.br/arquivos_medicamentos/112/Ketamin_Profissional.pdf>. Acesso em 16 fev 2023

Fonte: Tua Saúde!