Que a Bahia é a terra do acarajé, todo mundo já sabe. Que a Bahia é, também, a terra do cacau, não existe dúvida. Agora, o destino quer ser conhecido pela cachaça de qualidade que produz. Com essa intenção, a Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA) participa da 33ª Expocachaça, feira considerada a vitrine mundial da bebida genuinamente brasileira, no Center Minas Expo, em Belo Horizonte. O evento foi aberto nesta quinta-feira (4), com programação que segue até domingo (7), incluindo feiras de cervejas e doces e atrações musicais.

A Setur-BA divulga a Rota do Engenhos – Sabores das Cachaças da Bahia, com a participação de 11 produtores convidados.  Os visitantes da exposição conhecem marcas da bebida que são fabricadas em seis zonas turísticas baianas: Chapada Diamantina, Caminhos do Sudoeste, Costa do Cacau, Costa das Baleias, Caminhos do Oeste e Costa dos Coqueiros. Em destaque, rótulos com premiações nacionais e internacionais, como Matriarca (Medeiros Neto) e Rio do Engenho (Ilhéus).

“É muito importante para os produtores artesanais de cachaça a participação nessa feira de alcance mundial. Uma oportunidade de mostrarmos a qualidade dos produtos baianos e suas premiações. A gente fica feliz em ver o Governo do Estado dar esse apoio para estarmos expondo aqui”, ressaltou Lucas Di Loreto Maia, proprietário da Matriarca.

“Houve um período em que o nosso segmento ficou esquecido e, agora, com essa iniciativa da Setur-BA, a gente volta a participar de grandes eventos, para mostrar que as cachaças da Bahia têm muita qualidade”, completou Luiz Fernando Galletti, da Rio do Engenho.

Representando as mulheres, Adeilsa Souza, produtora da cachaça Paramirim, do município baiano de mesmo nome, estava motivada. “Era um sonho meu ver a Bahia representada na Expocachaça. Eu via outros estados participando e queria que minha terra participasse. A Bahia tem cachaças excelentes e merece estar nessa feira”.

No roteiro dos engenhos baianos, o turista pode vivenciar uma experiência rural única. Ele irá conhecer o processo de produção da cachaça, desde a colheita da matéria-prima (cana de açúcar), passando pela moagem da cana, fermentação e destilação do caldo para virar aguardente, até o envelhecimento e engarrafamento da bebida.

“Visitamos os engenhos e fizemos um levantamento das potencialidades de cada região, discutindo com os produtores estratégias para incrementar o segmento, como a participação nessa feira tão relevante e qualificação. Esse novo roteiro integra as ações do Governo do Estado na diversificação da oferta turística”, explicou a turismóloga e assessora técnica da Setur-BA, Aidê Argolo.

Fonte: Ascom/Setur-BA

Fonte: Clique aqui

Créditos do autor: Daza Moreira

Créditos da imagem: Reprodução/Divulgação

Os direitos de imagem e texto são de autoria dos respectivos autores e editores mencionados no post original. Consulte a fonte primária clicando em ‘Fonte: Clique aqui’. Esta plataforma respeita a legislação de direitos autorais vigente (Lei nº 9.610/1998) e compromete-se a retirar qualquer conteúdo que infrinja os direitos autorais mediante notificação apropriada. Clique em ‘Contato’ para falar conosco.